Casa de Yoga

faixada

No decorrer dos seus 28 anos de existência, a CASA DE YOGA SHANTI OM tem acreditado no poder interno da natureza humana e, por isso, a tônica do seu trabalho tem sido:

  • Colaborar na manutenção holística da saúde do ser no nível físico, emocional, mental e espiritual.
  • Ser um instrumento irradiador de paz.
  • Servir como um ponto de luz.
  • Permitir um alargamento na consciência que conduz à reta ação como resultado de reto pensar.

A Casa de Yoga oferece aulas práticas de Yoga por níveis e cursos específicos, mantendo o seu ideal vivo e pulsante pela dedicação de diversos professores e secretários que como um grupo formam a base estrutural de todo ensinamento.

A Casa de Yoga foi idealizada e fundada em 1988 por Maria Laura Garcia Packer que estudou e se especializou na Índia várias vezes, fez diversos cursos de Formação em Yoga nos EUA em diferentes tradições.  Ministra aulas, cursos terapêuticos, cursos de filosofia, de meditação, de vegetarianismo e de Formação para Professores de Yoga. Fundou alguns anos após o Chacarananda Ashram, que é um centro de retiro nas montanhas de Campo Alegre, para poder dar apoio aos trabalhos da Casa de Yoga.

laura

Equipe da Casa de Yoga:

Contamos com uma equipe de professores, terapeutas e cuidadores que mantém a estrutura física e espiritual do trabalho da Casa de Yoga.  São eles: Maria Laura Garcia Packer, Maria Elisa B. Crivellaro , Vagner Chamberlain Guimarães e José Pereira Guimarães Filho.

page5

 

Estrutura da Casa de Yoga

A Casa de Yoga Shanti OM com os seus 28 anos de atuação, possui uma estrutura interna para realizar suas atividades com práticas de Yoga, meditação, estudo, palestras, cursos e terapias.

  • 2 Salas  de prática de Yoga , ambas climatizadas, Buddha Mandir e Shiva Mandir;
  •  Sala de Terapias;
  • Biblioteca;
  • Secretaria;
  • 9
  • Sala Buddha Mandirsala1

  • Sala Shiva Mandir8

  • Conhecimento

    A ÁRVORE DO YOGA

    Por B.k.S.Iyengar

    Assim como todo o processo de uma planta preciso ser cuidado, também a árvore do ser precisa ser cuidada. Os antigos sábios, ao vislumbrarem a alma, descobriram a semente dessa vivencia no Yoga.

    Essa semente tem 8 segmentos ;

    1 – a raiz da árvore do Yoga é Yama que abrange cinco princípios  – O cumprimento dos ditames de Yama disciplina os cinco órgãos da ação, que são os braços, as pernas, a boca, os órgãos de ação controlam os órgãos da percepção e a mente – alguém pensa em fazer algum mal , mas os órgãos da ação se recusam. Resultado: o mal não será praticado. Os yogues assim começam com o controle dos órgãos da ação: Yama , e por esse motivo a raiz da árvore do yoga.

    As 5 faculdades da ação = KARMENDRIYA =  PALAVRA , PREENSÃO, LOCOMOÇÃO, EXCREÇÃO, GOZO

    2 – O tronco é comparável aos princípios do Niyama – estes 5 preceitos de niyama controlam os órgãos da percepção : os olhos, os ouvidos, o nariz, a língua e a pele. =  JNANENDRIYA.
    Além dos Karmendriya e do Jnanendriya  há correspondendo a tamas Os Tanmatra  ( as 5 qualidades sensíveis ) = sonoro, tangível, visível, sápido, olfativo   e

    Os Bhuta ( 5 elementos ) = éter, ar, fogo, água, terra .

    3 – Do tronco da árvore saem diversos galhos. Um é muito comprido, o outro cresce lateralmente, outro nasce reto, e assim por diante. Esses galhos são os asanas.

    4 – Dos galhos brotam as folhas cuja interação com o ar fornece energia para toda a árvore. As folhas absorvem o ar, colocando-o em contato com as partes internas da árvore. Correspondem ao pranayama, a ciência da respiração que conecta o macrocosmo ao microcosmo e vice-versa. Observe como, em posição invertida, nossos pulmões  têm a imagem de uma árvore.

    5 – Os galhos são todos cobertos pela casca. Sem a proteção da casca , a árvore seria devorada pelos vermes. Essa camada de revestimento protege a energia que flui dentro da árvore, entre as folhas e a raiz. Dessa maneira, a casca corresponde a prathyahara, que é a viagem interna dos sentidos, os quais se desligam da pele e se voltam para o âmago do ser.

    6 – A seiva da árvore , o suco que contém a energia dessa viagem para a interioridade do ser, é dharana. Dharana é concentração, é focalizar a atenção no cerne do ser. O fluido ou seiva da árvore , o suco que contém a energia dessa viagem para a interioridade do ser, é dharana. O fluido ou seiva da árvore, coliga a última pontinha da última folha à última pontinha da raiz.

    7 – A vivência dessa unidade do ser, da periferia ao centro, unidade em que observador e observado são um, é obtido com a meditação. Quando a árvore é saudável e o suprimento de energia fantástico, as flores nascem. Nesse sentido, dhyana, a meditação é a flor da árvore do yoga.

    8 – Quando a flor se transforma em fruto, tem-se o samadhi. A essência da árvore está no fruto, e a essência da prática do Yoga está na liberdade, na paz e na beatitude do samadhi, em que corpo, mente e alma se unem e se fundem com o Espírito Universal.

    Síntese do livro por Maria Laura Garcia Packer

     

    Kriya Yoga –  O Yoga preliminar

    Por Maria Laura Garcia Packer

    Kriya Yoga ou Yoga Preliminar, é a disciplina preliminar que se compõe de Tapas (perseverança, auto-esforço ) Svadhyaya ( auto-estudo ) e Ishvara Pranidhana ( entrega ao Absoluto ) .

    Estes preceitos são instrumentos de purificação que quando observados na sua profundidade , geram um movimento ascendente com grande poder de transformação.

    Patañjali , o sábio que codificou o Yoga aproximadamente ( 300 a .c ) cita nos Yoga Sutras II-1 e II-2 respectivamente :

    ” Tapah-svádhyáyesvara-pranidhánáni kriyá-yogah”

    Auto-esforço, auto-estudo e entrega à Deus constituem o Yoga preliminar.
    ” Samádhi-bhavanárthah klesa-tanukara-narthas ca.”
    Kriya Yoga é praticado para atenuar os klesas e produzir o samadhi

    De acordo com a orientação do sábio Patañjali temos nestes dois sutras a ferramenta necessária para aliviar as causas das aflições humanas e um ponto importante que nos alavanca para a iluminação, que é a Entrega ao Absoluto (Ishvara Pranidhana ).

    Na tradição ética do Yoga temos os Niyamas ( preceitos de conduta interna ) que são instrumentos de lapidação e de purificação do ego.

    Patañjali divide os cinco aspectos de NIYAMA em dois grupos:

    Saucha e Santosha >  saúde física e felicidade da mente

    Tapas – Svádhyáya e Ishvara-pranidhana >  o ardente desejo de desenvolvimento espiritual, auto-estudo e entrega à Deus.

    “A primeira parte de Niyama  – saucha ( pureza ) e santosha ( contentamento ) permite à pessoa desfrutar os prazeres do mundo, livre de doenças.

    A segunda parte ( tapas- svádhyáya e Ishvara-pranidhana ) é chamado de  ” Yoga auspicioso ” e com ele se alcança o estado mais elevado, torna-se livre, completamente dissociado dos veículos do corpo, transformando-se em UM só com a alma.

    Patañjali chama esses dois estágios de  “BHOGA” e  “APAVARGA” respectivamente.

    BHOGA – significa desfrutar prazeres sem doenças

    APAVARGA – significa liberdade e beatitude.

    Para a saúde e a felicidade, segundo Patañjali, a dieta não é muito importante. Mas para o desenvolvimento da saúde espiritual, torna-se necessário o cuidado com  a dieta, para que as flutuações da mente possam ser aquietadas. Colhe-se o que se planta. A mente é produto dos alimentos ,  por isso, a comida que você ingere surte efeitos na mente. Assim, há restriçoes alimentares se você  busca o desenvolvimento espiritual , mas para saúde e a felicidade, não. È apenas uma questão de nível espiritual que se deseja .” 1

    ” Tapas, Svadhyaya e Ishvara-pranidhana lança as bases da vida yóguica por meio de uma sólida preparação – esta preparação é tríplice em sua natureza, correspondendo a tríplice natureza do ser humano:

    Tapas relaciona-se com  Vontade

    Svadhyaya relaciona-se com Sabedoria

    Ishvara pranidhana relaciona-se com  Amor

    Esta  disciplina , por conseguinte, testa e desenvolve todos os três aspectos da nossa  natureza, produzindo um crescimento integral e equilibrado da individualidade, tão essencial à consecução de qualquer ideal elevado.”2

    TAPAS – ( Auto-esforço , Determinação)

    Deriva do vocábulo sânscrito Tap, que significa aquecer até alta temperatura. Se o ouro  é aquecido até uma alta temperatura, todas as suas impurezas aos poucos são queimadas e eliminadas, e somente permanece o metal puro, perfeito. Esta é a idéia essencial  fundamentando  Tapas, que, em um significado amplo quer dizer  ” disciplinar nossa natureza inferior a fim de purificá-la, de remover todas as escórias de fraquezas, de impurezas, de modo que nosso corpo e nossa mente se tornem puros e obedientes à nossa vontade e possam servir como instrumentos eficientes do Eu Superior. Tapas é assim a transmutação da natureza inferior em superior por um processo de autodisciplina.” 3

    ” A qualidade do nosso esforço é o que determina o caminho que trilhamos.”

    SVADHYAYA  – Auto-estudo

    ” É o estudo intensivo dos problemas mais profundos da vida. É abrir as portas do nosso interior para o verdadeiro conhecimento e ter a capacidade de utiliza-lo sempre que necessário. É abrir a passagem entre a mente inferior e a mente superior, e isso se dá através de estudo, reflexão, meditação e japa ( repetição continua de mantra ).” 3

    Svadhyaya exprime o estudo que pode ser feito das escrituras e também de nós mesmos. É  tantoapara vidya quanto para vidya, ou seja, conhecimento e sabedoria.

    Na Bhagavad Gita ( escritura yóguica ) se refere a Ksetra e Ksetrajña , o Campo e o Conhecedor do Campo. A continua disciplina do Yoga exige que direcionemos o estudo para dentro, de modo que não haja somente conhecimento do conhecido ( Ksetra ) mas também do Conhecedor                 ( Ksetrajña ) .

    Svadhyaya  significa a observação de nós mesmos, pois apenas assim o estudo do Conhecedor ou aquele que percebe pode ser feito. O auto-conhecimento é o próprio âmago da sabedoria.
    ISHVARA PRANIDHANA-  Entrega ao Absoluto

    Ishvara é o Princípio Eterno, Atemporal, Onipresente, Onipotente, Onisciente.

    Pranidhana significa auto entrega; voltar-se para … ; devoção a …; consagração. Uma entrega irrestrita ao Absoluto. Significa a reta orientação para o Real ou Atemporal. Refere-se entregar-se ao Divino, à Sua guiança; à Sua orientação.

    Ishvara Pranidhana é o caminho da entrega, da aceitação, da fé . É o caminho daquele que busca desenvolver o amor, a compaixão, a devoção. È o caminho daquele que segue a voz interior e confiantemente se deixa guiar pela Vontade Divina.

    Quando estamos estabelecidos em Ishvara Pranidhana agimos serenamente ativos e ativamente serenos.

    Fontes :

    A Árvore do Yoga – B.K.S. Iyengar

    A Ciência do Yoga –  I.K.Taimni

    Preparação para o Yoga – I.K.Taimni

    Tapas – Auto-esforço e perseverança

    Por M. Laura Garcia Packer

    Tapas , vem da raiz sânscrita “ Tap” que significa aquecer, arder . O ardor de Tapas é aquele esforço de uma vontade forte que gera uma força que é comparada ao fogo, que purifica e ilumina.

    No Yoga Sutra II-43, Patañjali fala de Tapas

    “ O auto-esforço produz a destruição das impurezas e a conseqüente perfeição do corpo e dos sentidos.”

    “ Tapas quer dizer disciplinar nossa natureza inferior a fim de purificá-la, de remover todas as escórias de fraquezas, de impurezas, de modo que nosso corpo e nossa mente se tornem puros e obedientes à nossa vontade  e possam servir como instrumentos eficientes do Eu Superior.

    Tapas é a transmutação da natureza inferior em superior por um processo de auto-disciplina. É o esforço consciente para se atingir a união final com o Divino e para queimar todos os desejos que estiverem no caminho desse objetivo.

    A remoção da impureza é o principal propósito da prática de Tapas, pois quando o corpo foi completamente purificado é que ele pode funcionar perfeitamente, como instrumento da consciência.” 1

    As escrituras Hindus falam que assim como o óleo é retirado da semente, a manteiga do leite, o fogo do graveto, por um esforço concentrado, assim também o espírito no homem emerge com o poder de Tapas.

    Tapas exerce uma função muito importante na vida de um praticante, pois sem esforço retamente orientado, não se pode realizar a si mesmo.

    “ No contexto védico o desenvolvimento do Yoga se dá exatamente pela prática de Tapas, que geralmente se traduz como “ascese”; mas deve-se compreender no sentido de exercício, disciplina, esforço sobre si mesmo. Significa aquecer-se,  tornar-se ardente, e tem por conotação a idéia de emanação de calor associada a esforço, cuja finalidade é acumular certa energia interior, produzindo um “calor psíquico”, permitindo atingir um nível de existência superior.” 2

    Na Bhagavad Gita , capítulo XVII – 14 a 16 Krishna fala sobre os três tipos de tapas . O Tapas do corpo , da fala e da mente.

    O Tapas do corpo consiste em tornar os sentidos subjugados ao Eu e não ser violento nem  produzir a violência .

    “ O Tapas da fala consiste em prece silenciosa, falar com gentileza e mansidão, afavelmente, evitando todas as palavras ofensivas, dizendo o que é verdadeiro e justo.

    O tapas da Mente consiste em contentamento,  igualdade de ânimo, têmpera moderada, discrição, devotamento, domínio das paixões e pureza da alma,”

     

    “ A qualidade do nosso esforço determina o caminho que trilhamos.”

    “  A firmeza de determinação é o que torna grandiosa uma pessoa. Todavia, por mais insignificante que alguém seja, ele ou ela será grande por sua determinação. Se você tiver o firme propósito de realizar a sua meta, você será grandioso . Sem uma forte determinação você não conseguirá realizar nenhuma tarefa nobre.” Shrii Shrii Anandamurti

    Fontes:

    Taimini – Preparação para o Yoga

    Tara Michael – O Yoga

     

    Yoga e doenças do coração

    Por Maria Laura Garcia Packer

    O Yoga atua de forma tanto preventiva quanto terapêutica nas doenças do coração.

    As doenças do coração são conseqüência de uma vida estressada, sedentária , desconectada com a natureza e com a vida interior. Na visão do Yoga, o coração representa o cerne do Ser e ele deve ser cuidado amorosamente para não adoecer, pois quando o coração está perturbado tudo em nós está enfraquecido. O coração é  o centro do  sentimento e quando guardamos dentro dele sentimentos de isolamento, frustração, ressentimento, mágoa , vamos pouco a pouco nos fechando para a realidade bela da vida circundante e começamos a sofrer com palpitações, arritmia  cardíaca, pressão alta, insuficiência cardíaca, colesterol elevado e estresse generalizado. O Yoga nós dá uma visão terapêutica muito eficaz para manter o nosso coração sempre em paz, pois quando o nosso coração está em paz , estamos em nosso estado natural . Temos seis tópicos que se observados com cuidado e diariamente teremos condições de manter o nosso coração saudável . Eis os seis tópicos;

    Faça exercícios revitalizadores do coração –  que são exercícios suaves de alongamento e soltura do corpo que promove a circulação do sangue e a liberação do estresse.

    Aprenda a respirar –. Nas pessoas cronicamente estressadas, o sistema nervoso simpático fica estimulado e em decorrência disso a freqüência cardíaca, a pressão arterial e a tensão muscular aumentam. As técnicas respiratórias podem ajudar a equilibrar o sistema nervoso, produzindo um prolongado efeito calmante sobre a mente e sobre todo o corpo. A respiração coronária dará a você a calma que você necessita no seu dia a dia . Respire pelas narinas e leve o ar inspirado a nível abdominal contando até 3 tempos e exale lentamente contando até 6 tempos. Faça isso todas as vezes que você lembrar, pois irá manter você sempre calmo e sereno .

    Busque estar relaxado – conquistando a tranqüilidade do seu coração  – Pode-se relaxar sempre. Mesmo em atividade, pode-se fazer um relax parcial. É possível tirar proveitos terapêuticos e até repouso do relax, mesmo que estejamos andando, trabalhando, comendo e divertindo-nos. Para isso , é preciso treinar a manter a lassidão relativa das partes do corpo não comprometidas com o que se está fazendo. Se você está lendo, por que ficar sapateando o chão com o calcanhar? Por que a contração do semblante? Por que os dedos não param ?  Aprenda a se observar e conseqüentemente a relaxar, evitando esforços e tensões sem proveito.

    Faça uma dieta de prevenção dos problemas cardíacos –  leia o texto a seguir sobre a dieta.

    Abra o seu coração para os seus sentimentos e para a paz interior – ao abrirmos o nosso coração para sentir seus ritmos e tocá-lo com uma atenção profunda e suave , para sentir seus sentimentos e necessidades, passamos por um processo de cura. Ao olharmos verdadeiramente para o nosso coração, podemos ver como a raiva, transforma-se em sofrimento, a mágoa transforma-se em dor e o ressentimento em tristeza. A abertura do coração é o primeiro passo para a cura e para a paz.

    Meditação – um caminho com o coração – este é o processo de aquietar a mente, serenizar o coração e aprender a vigiar, para então cessar toda a luta com o mundo e com todos os oponentes. A meditação é o antídoto contra a agitação do dia a dia . Sente quieto e preste atenção na sua respiração, contemplando o ar que entra e sai dos seus pulmões, sem alterar a respiração.

             OM SHANTI

Casa de Yoga Shanti OM 28 anos ensinando Yoga em Joinville!